Data da postagem: 13/10/2020

Radiografias intraorais: o que é preciso para obter diagnósticos mais precisos?

Como funciona a radiografia convencional?

O raio x convencional é o mesmo desde o seu surgimento até os dias de hoje. O seu funcionamento consiste em: os equipamentos emitem a radiação em direção ao corpo e os tecidos humanos (tecidos adiposos, músculos, ossos) e absorvem diferentes quantidades de radiação, fazendo com que esses raios atinjam o filme radiográfico com diferentes intensidades.
Quando o filme radiográfico recebe a radiação, ele queima de acordo com o nível que foi emitido e, depois disso, ele passa pelo processo de revelação, que gera imagens em tons de branco e cinza.

Quais as vantagens deste método?

Talvez a principal vantagem da radiografia convencional seja quando falamos em valores dos equipamentos, pois estes são mais baratos do que os equipamentos digitais.

No entanto, esta vantagem pode ser questionada quando mencionamos o custo-benefício das radiografias digitais, inclusive no que se refere ao tempo de aquisição de imagem, que está relacionado diretamente ao tempo de atendimento clínico.

Porém…
A quantidade de filmes de raio x que é necessário descartar ou mesmo guardar adequadamente, torna a radiografia convencional nada sustentável e muito menos prática no que se refere à organização e ao armazenamento.

Além disso, a repetição de exames devido a falhas, seja por mau posicionamento ou por erros na revelação da radiografia, faz com que o paciente seja exposto aos raios x por mais tempo do que o necessário.

E como solucionar este problema?

A radiografia digital surge para sanar diversos problemas e otimizar o fluxo de atendimento do profissional. Ela se baseia nos mesmos princípios de emissão de raios x para a captura das imagens, mas os filmes radiográficos são, finalmente, deixados de lado.

Os exames, além da possibilidade de serem enviados por computador, podem ser editados, analisados, armazenados e também impressos, se houver necessidade.

O pioneirismo Vatech

A Vatech é pioneira no desenvolvimento de diversas tecnologias para a Radiologia odontológica, através de muito investimento em pesquisa e tecnologia!

Entre eles, desenvolveu a tecnologia CMOS de altíssima resolução, sendo atualmente considerado o detector de maior resolução disponível no mercado.

Esta tecnologia está presente em todos os equipamentos Vatech, inclusive nos sensores digitais intraorais, permitindo mais precisão e nitidez em seus diagnósticos!

Quais as vantagens de um detector CMOS?

Como o pixel é individualizado, ou seja, cada pixel tem seu próprio amplificador, o processo de leitura gera menor interferência na imagem final, os “ruídos na imagem”, o que melhora consideravelmente a nitidez.

O CMOS também é capaz de realizar a leitura mais rápida: processa cerca de 1 gigapixel por segundo, sendo muito mais eficiente, principalmente nas aquisições de múltiplas panorâmicas.

Por todas essas questões, a Vatech garante alta qualidade e performance de seus equipamentos e possibilita, a partir de sua alta capacidade tecnológica, responder aos clientes de forma rápida e melhor. Além disso, a Vatech é número 1 em pós-venda no Brasil, oferecendo um suporte de qualidade mesmo após a compra do equipamento!

Os detectores CMOS foram uma revolução para a imagem radiográfica e fazem parte dos sensores digitais mais modernos utilizados atualmente.

Mas por que escolher os sensores digitais? Quais as suas principais vantagens e o seu custo benefício?

Nós elaboramos um e-book exclusivo sobre este assunto! Acesse agora mesmo e desmistifique o uso dos sensores digitais em Odontologia.

 


Compartilhe:


Todos os direitos reservados a Vatech Brasil.